Arapiraca

De WikiAlagoas

Arapiraca é o segundo maior município alagoano, localizado no agreste do estado, conhecido nacionalmente por sua cultura de fumo. Segundo Sampaio (1987), em tupi Arapiraca significa "o pau de casca solta".

Localização do município de Arapiraca no mapa do estado de Alagoas.
Bandeira de Arapiraca.

Tabela de conteúdo

Etimologia

Localizada no agreste de Alagoas, o nome do mais importante município do interior é de origem indígena, oficializado com sua emancipação política, o corrida em 1924. Provem de uma árvore frondosa, típica do lugar, da família das mimosáceas, que dava sombra e conforto aos viajantes que passavam por ali sob sufocante calor tropical. Os índios a chamavam de “árvore em que periquito pousa” ou, segundo outra versão, ”ramo que arara visita”. Do tupi: “ara” quer dizer periquito (ou arara, de acordo com outros”); pira pode ser traduzido como pousa; e aca significa ramo de árvore. Trata-se de uma espécie de angico branco, muito comum no agreste e no sertão, e que o povo, à sua maneira denomina de Arapiraca.

Demografia

Possui uma área de 356,18 quilômetros quadrados e sua população é de 214.006 habitantes, sendo 181.481 o total da população urbana e 32.525 a população rural. Segundo dados do Censo IBGE de 2010, a população divide-se em 101.884, o total de indivíduos do sexo masculino, e 112.122 o total de indivíduos do sexo feminino.

História

Consta que as terras onde hoje se situa Arapiraca pertenciam a Marinho Falcão, que as vendeu ao Capitão Amaro da Silva Valente de Macedo. No ano de 1848, o Capitão Amaro Valente enviou o genro Manoel André Correia dos Santos, juntamente com a família, àquela localidade, em virtude de uma séria contenda entre Manoel André e o cunhado, José Ferreira de Macedo. Após longos dias de trabalhos e perigos, o pioneiro alcançou uma planície onde resolveu parar. Fez acampamento embaixo de uma frondosa Arapiraca e aí permaneceu vários dias. À sombra da árvore, levantou uma cabana de madeira coberta com cascas de angico, onde passou os primeiros dias, enquanto construía a primeira casa numa distância de aproximadamente cem metros, que serviu de habitação para sua família. Desde esta época, Arapiraca conservou seu nome.

Nos primórdios, os habitantes da povoação eram quase todos ligados entre si por laços de parentesco. Em 1855, uma perda lamentável abalou os moradores do núcleo populacional: morreu a esposa de Manoel André, vítima da epidemia de cólera. Consternado e enlutado, ele prometeu construir uma igreja sobre sua sepultura. Desse modo, em 1864, erigiu a Capela de Santa Cruz consagrando-a à Nossa Senhora do Bom Conselho, inaugurada em 02 de fevereiro de 1865 com uma Missa celebrada pelo Padre Otávio de Oliveira.

Igreja de Nossa Senhora do Bom Conselho.

No início do século XX, de acordo com as informações de Zezito Guedes, em seu livro “Arapiraca Através do Tempo”, a cidade “ainda era edificada com casas de taipa, modelo duas águas com biqueira, existindo duas construções em alvenaria: uma no atual comércio, construída pelo Capitão Chico Pedro, outra na Rua Nova, hoje Praça Deputado Marques da Silva, um sobrado construído por Antônio Apolinário e que depois serviu de Paço Municipal.” Também, segundo o autor, em Arapiraca ainda existiam, naqueles tempos, vestígios da época da fundação. Assim, em pleno centro urbano, havia muitas árvores nativas, “em cujas sombras os feirantes colocavam carros-de-boi, amarravam animais e a meninada da época brincava diariamente”. Era, já neste período, “florescente, muito comercial e centro de grande produção de farinha de mandioca”. Existiam também algumas fábricas de beneficiar algodão. Conforme assevera Adalberto Marroquim, em “Terra das Alagoas”, “os produtos de Arapiraca, principalmente cereais, vão para as margens do Rio São Francisco e daí para Penedo, distante trinta léguas”. Ainda segundo o autor, o estado mantinha em Arapiraca, naquele tempo, duas escolas públicas.

Em seus primórdios, como distrito, Arapiraca esteve sob a jurisdição, sucessivamente, de Penedo, Porto Real do Colégio, São Brás e Limoeiro de Anadia. Como município independente, constituiu-se de território desmembrado de Palmeira dos Índios, Porto Real do Colégio, São Brás, Traipú e Limoeiro de Anadia. Pelo Decreto nº 1.071, de 24 de outubro de 1924, passou a pertencer à comarca de Palmeira dos Índios. Em 1931, passou à jurisdição da comarca de Anadia. Em 17 de setembro de 1949, finalmente, Arapiraca foi elevada à categoria de comarca.

Gentílico: Arapiraquense


Hino oficial de Arapiraca


Criado pelo Projeto de Lei n.º 36/61, do vereador Higino Vital da Silva (Sessão Ordinária do dia 11/11/1961).
Aprovado na Sessão Ordinária do dia 25/11/1961.
Letra do professor Pedro de França Reis. Música do maestro Nelson Palmeira.
(o texto foi digitado seguindo as regras gramaticais da época)


Sob um céu de safira estrelado,
Num agreste dêste imenso Brasil,
Fôra um rincão pequenino fadado
A ser majestoso, soberbo e viril.

CÔRO

Arapiraca, Estrêla radiosa,
Que fulgura sob o céu do Brasil,
Cidade sorriso, cidade formosa,
Cheia de esplendor e de encantos mil.

Arapiraca fôra a inspiração
De um sertanejo cheio de fé.
Rendamos, pois, de coração
O nosso “HOSANA” a Manoel André.

A cultura do fumo, a sua riqueza,
O “OURO NEGRO”, que os seus campos veste
Lhe adquirira um título de nobreza,
“cidade Galã”. PRINCESA DO AGRESTE.

Terra adorada, Gloriosa terra,
Crisol da Pátria, abençoada por Deus
Receba, pois, o afeto que se encerra
Nos meigos corações dos filhos teus.

Geografia

Localização

Arapiraca encontra-se na parte central do estado de Alagoas conhecida como Mesorregião do Agreste Alagoano. Estabelece limites com os municípios de Coité do Nóia, Craíbas, Igaci, São Sebastião, Feira Grande, Limoeiro de Anadia, Junqueiro e Lagoa da Canoa. A sede do município tem uma altitude aproximada de 264 m e coordenadas geográficas de 9°45’09’’ de latitude sul e 36°39’40’’ de longitude oeste. O acesso a partir de Maceió é feito através das rodovias pavimentadas BR-316, BR-101, AL-102, AL-110, AL-220.

Divisão administrativa

De acordo com a Lei n° 2.470/2006, a área que compõe o perímetro urbano do município de Arapiraca encontra-se dividida em 38 bairros. São eles: Alto do Cruzeiro, Baixa Grande, Baixão, Brasília, Brasiliana, Boa Vista, Bom Sucesso, Cacimbas, Caititus, Canfístula, Capiatã, Cavaco, Centro, Eldorado, Guaribas, Itapoã, Jardim Esperança, Jardim de Maria, Jardim Tropical, João Paulo II, Manuel Teles, Massaranduba, Nova Esperança, Novo Horizonte, Olho D'água dos Cazuzinhas, Ouro Preto, Padre Antonio Lima Neto, Planalto, Primavera, Santa Edwiges, Santa Esmeralda, São Luiz, São Luiz II, Senador Arnon de Melo,Senador Nilo Coelho, Senador Teotônio Vilela, Verdes Campos, Zélia Barbosa Rocha.

Clima

O clima é do tipo tropical chuvoso com verão seco. O período chuvoso começa no outono tendo início em fevereiro e término em outubro. A precipitação média anual é de 1.634.2 mm. Apresenta uma temperatura máxima de 37ºC e mínima de 31ºC.

Vegetação

A vegetação é predominantemente do tipo Floresta Subperenifólia, com partes de Floresta Subcaducifólia e cerrado/floresta.

Relevo

O relevo de Arapiraca faz parte da unidade dos Tabuleiros Costeiros. Esta unidade acompanha o litoral de todo o nordeste, apresenta altitude média de 50 a 100 metros. Compreende platôs de origem sedimentar, que apresentam grau de entalhamento variável, ora com vales estreitos e encostas abruptas, ora abertos com encostas suaves e fundos com amplas várzeas. De modo geral, os solos são profundos e de baixa fertilidade natural.

Hidrografia

O município de Arapiraca encontra-se inserido na bacia hidrográfica do Rio São Francisco, banhado pelos afluentes das sub-bacias dos rios Jurubeba, a sul e do Rio Coruripe, no limite norte. Ambos atravessam o município no sentido noroeste-sudeste, e o Riacho Piauí, é o mais importante afluente do Rio Jurubeba, sendo os demais de importância secundária. O padrão de drenagem é o dendrítico.

Política municipal

Prefeita: Célia Maria Barbosa Rocha

Partido: Partido Trabalhista Brasileiro (PTB)

Gestão: 2013-2016

Indicadores sócio-econômicos

PIB - Produto Interno Bruto (IBGE-2010)

PIB Municipal = R$ 1.881.363

Agropecuária = R$ 52.383

Indústria = R$ 272.847

Serviços = R$ 1.317.603

Per capita = R$ 8.789

Saúde

Arapiraca conta com 8 estabelecimentos ligados à rede estadual de saúde, 60 estabelecimentos ligados à rede municipal de saúde e 152 pertencentes à rede privada, tendo um total de 220 estabelecimentos de saúde (IBGE, 2012).

Educação

O município de Arapiraca está inserido na área de abrangência da 5ª Coordenadoria Regional de Educação, cuja sede está situada no próprio município.

De acordo com dados do Censo Escolar 2013, Arapiraca possui 166 escolas, das quais 90 pertencem à rede municipal, 16 à rede estadual, 59 à rede privada e 1 à rede federal de ensino. Do total, 125 estão localizadas na zona urbana e 41 na zona rural (DataEscolaBrasil).

Economia

Produção Agrícola

De acordo com o IBGE, a atividade agrícola do município de Arapiraca consiste no cultivo de: Abacaxi, algodão, batata-doce, cana-de-açúcar, feijão, fumo, mamona, mandioca, milho, soja.

No quadro ao lado, podemos analisar a produção dos referidos gêneros no município de Arapiraca, nos anos de 2007 e 2008.

Dados da produção agrícola do período de 2007 e 2008.

Produção Pecuária

De acordo com o IBGE, a atividade pecuária do município de Arapiraca é contabilizada de acordo com a quantidade de: Asininos, bovinos, caprinos, codornas, coelhos, equinos, galinhas, galos, frangas, frangos, pintos, leite, mel de abelha, muares, ovinos, ovos de codorna, ovos de galinha, suínos e vacas ordenhadas.

No quadro ao lado, podemos analisar a produção dos referidos gêneros no município de Arapiraca, entre os anos de 2003 e 2008.

Dados da produção pecuária do período de 2003 a 2008.

Indústria

O município de Arapiraca conta com um distrito industrial localizado às margens da rodovia AL 115, no 5 km, distante cerca de 126 km de Maceió. Possui condições para o funcionamento de empresas dos mais diversos setores. Atualmente, podem ser encontradas indústrias de refrigerantes, cereais, resinas, plásticos e de beneficiamento de mandioca. Este último, o Polo Industrial da Mandioca, conhecido como fecularia, é formado por um consórcio que envolve nove municípios do estado de Alagoas. São eles: Arapiraca, Coité do Nóia, Feira Grande, Girau do Ponciano, Igaci, Junqueiro, Lagoa da Canoa, São Sebastião e Taquarana.

Comunicações

Emissoras de Rádio em Arapiraca

Emissoras FM:

96,9 MHz - 96 FM Arapiraca
101,1 MHz - Gazeta FM Arapiraca
101,9 MHz - Pajuçara FM Arapiraca
103,3 MHz - Jovem Pan FM Arapiraca
105,3 MHz - Imprima FM
106,9 MHz - Educativa FM Arapiraca

Emissoras AM:

570 Khz - Rádio Novo Nordeste

Canais de TV:
02 - TV Alagoas - SBT
06 - TV Gazeta - Globo
09 - TV Pajuçara - Record
13 - TV Bandeirantes
21 - TVE Alagoas - TV Brasil
25 - TV Canção Nova

Transportes

De acordo com dados do IBGE, a frota municipal de veículos em 2012 era formada em sua grande parte por motocicletas (26.470), seguido por automóveis (21.273 ), motonetas (10.063), caminhonetes (4.588), caminhões (2.716), micro-ônibus (428), caminhões-trator (367), ônibus (305) (IBGE).

Cultura

Em 1884, foi criada a feira livre do então povoado, por iniciativa do Major Esperidião Rodrigues. Em pouco tempo, a feira foi evoluindo e motivando o surgimento de estabelecimentos comerciais de caráter permanente.

Na década de 1970, a feira de Arapiraca já possuía dimensão regional, tornando-se um verdadeiro complexo ao lado do comércio local e da produção fumageira. Em 1985, o município assumiu a condição de cidade-pólo regional e sua feira já estava, então, entre as maiores do Nordeste.

Em 1892 foi nomeada a primeira professora estadual, Marieta Peixoto Rodrigues.

No início do século XX, em 1908, foi criada pelo Major Espiridião Rodrigues da Silva a Escola de Música União Arapiraquense, incrementando significativamente a cultura da comunidade.

Após a emancipação política, em 1924, foram realizados os primeiros carnavais com desfiles de blocos pelas ruas, bem como as primeiras festas juninas. Surgiram diversas manifestações folclóricas, tais como o reisado, o quilombo do Lídio, pastoris, folia de reis, coco-de-roda, cantigas das destaladeiras, dentre outros.

Em 1940, foi instituído oficialmente o curso primário com a fundação do Grupo Escolar Adriano Jorge.

Em 1943, foi fundado o Instituto São Luís e a partir de 1944 o professor Pedro Reis e os membros da Congregação Mariana começaram as encenações das primeiras peças de teatro na escola. Em 1949, Pedro Onofre de Araújo e José de Sá criaram o Teatro Amador.

No ano de 1950, teve lugar a fundação do Ginásio Nossa Senhora do Bom Conselho, marco de grande importância na história da educação e da cultura de Arapiraca.

Em 1955, por iniciativa da Irmã Luzinete Ribeiro de Magalhães, foi criado o Colégio São Francisco de Assis, que teve como primeira diretora a Irmã Maria Helena.

Em 1956 ocorre a fundação da Escola de Comércio, de formação técnica.

No campo do ensino superior, foi criada, em 1971, a Fundação Educacional do Agreste, que manteve a Faculdade de Formação de Professores de Arapiraca. Em 1990, a Fundação foi estadualizada, passando a integrar a Fundação Universidade Estadual de Alagoas, em 1996.

As artes plásticas também tiveram um grande impulso em solo arapiraquense. Já em 1956, José de Sá realizou uma exposição individual na Câmara de Vereadores, com paisagens, pinturas sacras e acadêmicas.

Em outubro de 1967 foi realizado o 1° Salão de Arte de Arapiraca, importante acontecimento artístico que impulsionou de maneira notável a cultura de Arapiraca. A mostra coletiva reuniu pinturas, desenhos, esculturas em madeira e gesso de diversos estilos e nas mais variadas técnicas. Contou com a participação de Ismael Pereira (o idealizador), Zezito Guedes, Izabel Torres, José de Sá, Alexandre Tito, Mauro Jorge, Chico Artes e Sebastião Ferreira (Bibi).

Quem vai a Arapiraca não pode deixar de conhecer as obras dos seus artistas. Zezito Guedes, escultor, folclorista e escritor, trabalha com madeira, pedra e ferro, inspirado em motivos populares. É autor dos livros “Cantigas das Destaladeiras de Fumo” e “Arapiraca Através do Tempo”. Destacam-se também, Josias Saturnino Silva, pintor e entalhador; José de Sá, ator e pintor; Alexandre Tito, escultor, pintor e poeta popular; Júnior Borges, pintor; Benedito Luiz, artesão; Francisco Alexandre, pintor; Saturnino João, escultor e zabumbeiro; José Almir, artesão de couro; Fernando Lima, pintor; Ismael Pereira, pintor que participou de várias exposições individuais e coletivas, inclusive no Exterior; dentre outros.

Espaços culturais

Na atualidade, diversas instituições culturais movimentam a cidade, como a Academia Arapiraquense de Filosofia, Ciências e Letras; Associação Arapiraquense de Produtores de Bens de Cultura; Núcleo de Cultura Avançada; Instituto de Línguas da Secretaria de Educação e Cultura da Prefeitura de Arapiraca; Casa da Cultura, com moderna biblioteca, o Museu do Fumo, dentre outras.

Patrimônio histórico, artístico ou natural

Figuras Ilustres

Esperião Rodrigues da Silva - Líder da emancipação política

Zezito Guedes - Escultor, folclorista e escritor, trabalha com madeira, pedra e ferro, inspirado em motivos populares.

Gastronomia

Sarapatel, quebra-queixo, pé-de-moleque, cocada, beiju e bolo de milho são algumas da delícias comidas típicas da cozinha regional arapiraquense.

Folclore

Cantadores e violeiros apresentam-se nas feiras livres. A s destaladeiras de fumo, com suas cantigas que lembram a poesia medieval portuguesa, constituem-se na mais importante atração do folclore local. Ademais, destacam-se os folguedos tradicionais, como Pastoril, Guerreiro, Coco-de-roda, dentr outros.

Religião

Esportes

Futebol

Em 25 de setembro de 1952 foi fundada a Associação Sportiva de Arapiraca, o ASA. Em 1977 passa a ser chamada Agremiação Sportiva Arapiraquense. Suas cores são o preto e o branco.

O município possui um estádio de futebol, o Estádio Municipal Coaracy da Mata Fonseca, também conhecido como Fumeirão.

Vencedor do Campeonato Alagoano de Futebol em 2011, competindo na primeira divisão.

Vídeos

Ver Também

Referências

  • Municípios Alagoanos – Douglas Apratto Tenório: historiador – Rochana Campos: Geógrafa – Cícero Péricles: Economista – Maceió: Instituto Arnon de Mello, 2006.
  • Iconografia Alagoana / Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Energia e Logística de Alagoas - SEDEC, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Alagoas - SEBRAE/AL. - Maceió: GRAFMARQUES, 2011.
Ferramentas pessoais
Secretaria de Planejamento